domingo, 7 de agosto de 2011

Iracema, José de Alencar - trecho/ questões/ respostas

O texto a seguir corresponde à parte inicial do capítulo XXXI do romance Iracema. Surge o personagem Caubi, irmão da índia.
Iracema
José de Alencar
     Iracema cantava docemente, embalando a rede para acalentar o filho.
     A areia da praia crepitou sob o pé forte e rijo do guerreiro tabajara, que vinha das bordas do mar depois da abundante pesca.
     A jovem mãe cruzou as franjas da rede, para que as moscas não inquietassem o filho acalentado, e foi ao encontro do irmão:
     - Caubi vai tornar às montanhas dos tabajaras! Disse ela com brandura.
     O guerreiro anuviou-se:
     - Tu despedes teu irmão da cabana para que ele não veja a tristeza que a enche.
     - Araquém teve muitos filhos em sua mocidade; uns a guerra levou e morreram como valentes; outros escolheram uma esposa e geraram por sua vez numerosa prole; filhos de sua velhice, Araquém só teve dois. Iracema é a rola que o caçador tirou do ninho. Só resta o guerreiro Caubi ao velho Pajé, para suster seu corpo vergado e guiar seu passo trêmulo.
     - Caubi partirá quando a sombra deixar o rosto de Iracema.
     - Como a estrela que só brilha de noite, vive Iracema em sua tristeza. Só os olhos do esposo podem apagar a sombra em seu rosto. Parte, para que eles não se turvem com tua vista.
     - Teu irmão parte para te fazer a vontade; mas ele voltará todas as vezes que o cajueiro florescer para sentir em seu coração o filho de teu ventre.
     Entrou na cabana. Iracema tirou da rede a criança; e ambos, mãe e filho, palpitaram sobre o peito do guerreiro tabajara. Depois Caubi passou a porta e sumiu-se entre as árvores.
     Iracema, arrastando o passo trêmulo, o acompanhou de longe até que o perdeu de vista na orla da mata. Aí parou: quando o grito de jandaia, de envolta com o choro infantil, a chamou à cabana, a areia fria, onde esteve sentada, guardou o segredo do pranto que embebera.
     A jovem mãe suspendeu o filho à teta; mas a boca infantil não emudeceu. O leite escasso não apojava o peito.
     O sangue da infeliz diluía-se todo nas lágrimas incessantes que não lhe estancavam nos olhos; pouco chegava aos seios, onde se forma o primeiro licor da vida.
     Ela dissolveu a alva carimã e preparou ao fogo o mingau para nutri o filho. Quando o sol dourou a crista dos montes, partiu para a mata, levando ao colo a criança adormecida.
     Na espessura do bosque estava o leito da irara ausente; os tenros cachorrinhos grunhem enrolando-se uns sobre os outros. A formosa tabajara aproxima-se de manso.
     Prepara para o filho um berço da macia rama do maracujá: e senta-se perto.
     Põe no regaço um por um os filhos da irara e lhes abandona os seios mimosos, cuja teta rubra como a pitanga ungiu do mel da abelha. Os cachorrinhos famintos sugam os peitos avaros de leite.
     Iracema curte dor, como nunca sentiu; parece que lhe exaurem a vida; mas os seios vão-se intumescendo; apojaram afinal, e o leite, ainda rubro do sangue de que se formou, esguicha.
     A feliz mãe arroja de si os cachorrinhos, e, cheia de júbilo, mata a fome ao filho. Ele é agora duas vezes filho de sua dor, nascido dela e também nutrido.
     A filha de Araquém sentiu afinal que suas veias se estancavam; e contudo o lábio amargo de tristeza recusava o alimento que devia restaurar-lhe as forças.
     O gemido e o suspiro tinham crestado o sorriso e o sabor em sua boca formosa.


 Exercício

01.      Que personagens participam do texto?
______________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

02.      Que trecho do texto indica que Iracema deseja que o irmão vá embora?
______________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

03.      De acordo com o irmão de Iracema, por que a índia deseja que ele parta?
______________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

04.      De acordo com Iracema, por que Caubi tem que partir?
______________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

05.      Caubi concorda com Iracema ou parte para não contrariá-la? Justifique com um trecho do texto. (
______________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

06.      “Caubi partirá quando a sombra deixar o rosto de Iracema”, o que Caubi quer dizer ao utilizar a palavra sombra?
______________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

07.      Ao explicar sua situação ao irmão, a que Iracema se compara no texto?
______________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

08.      Quem é o pai de Iracema e Caubi?
 ___________________________________________________________________________________

09.      O texto nos permite perceber os motivos da tristeza que corrói o íntimo de Iracema? Em caso afirmativo apresente o motivo.
______________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

10.      De que maneira Iracema consegue produzir leite para seu filho?
______________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

11.      Que adjetivo você atribui a Iracema pelas atitudes dela nesse trecho? Justifique o adjetivo que você escolheu.
     ___________________________________________________________________________________
     ___________________________________________________________________________________

RESPOSTAS
Questão 01 - Iracema, Caubi, o bebê de Iracema, a Jandaia e os cachorrinhos.
Questão 02 - Quando ela diz "Caubi vai tornar às montanhas dos tabajaras". (Quarto parágrafo)
Questão 03 - Para que ele não veja a tristeza dela.
Questão 04 - Porque só resta Caubi ao velho Pajé para suster seu corpo vergado e guiar seu passo trêmulo.
Questão 05 - Caubi partirá para não contrariar a irmã. "Teu irmão parte para te fazer a vontade."
Questão 06 - A sombra significa a tristeza.
Questão 07 - a uma estrela.
Questão 08 - Araquém, o velho Pajé.
Questão 09 - Sim, a distãncia do esposo.
Questão 10 - Colocando os cachorrinhos para mamar nela.
Questão 11 - Resposta Pessoal.

6 comentários:

  1. Cris, muito obrigada pela ajuda.
    Estava procurando um exercício interpretativo para meus alunos e esse foi perfeito. Eles estão muito tempos afastados da sala de aula e mesclar a literatura com a interpretação de texto é uma forma de ajudá-los a crescer. Muito obrigada!

    ResponderExcluir
  2. Olá! Adorei suas proposta e vou aplicá-las em sala de aula. Posso copiá-las no meu blog também?
    Abraços!
    Geisa

    ResponderExcluir
  3. Olá Cris !!Seu blog é maravilhoso!!!Também tenho um blog com o mesmo proposito do seu!estava procurando algumas questões para uma avaliação e achei as suas maravilhosas!!
    Posso postar em meu blog também??
    Abraços Ana
    Muito obrigada!!!!!

    ResponderExcluir
  4. VALEU EIN BLOG PERFEITO PRA SABER A RESPOSTA DOS BAGUIO EIN VLW MESMO

    ResponderExcluir
  5. Excelente o exercício,pois adora os textos de José DE Alencar.

    ResponderExcluir